INSS 2 Via Boleto

2ª Via Boleto INSS

Os trabalhadores que se declaram autônomos, mas que desejam contribuir com a previdência podem optar por fazer mensalmente o pagamento através de boleto INSS ao se cadastrarem na Previdência Social.

2-via-boleto-inss

A primeira providencia é se cadastrar no Programa de Integração Social (PIS) caso nunca tenha trabalhado com registro em carteira. Geralmente quem já trabalhou para pessoa jurídica já possui número de PIS cadastrado e para consulta-lo é preciso comparecer a Caixa Econômica no setor de FGTS, agências conveniadas ou através da central de atendimento 135. Para quem ainda vai fazer o cadastro, o segundo passo é escolher o tipo de contribuição e em seguida fazer o preenchimento de um documento chamado Guia da Previdência Social e efetuar seu pagamento. Esse passo a passo ocorrera somente no primeiro pagamento. Os demais ocorrerão de forma bem mais simplificada.

Primeiramente é necessário estar consciente de que somente pessoas que prestam serviços para pessoa física ou que trabalham de forma autônoma é que podem optar por esse tipo de contribuição denominada contribuição individual.

Atualizar Darf de contribuição ao INSS – Recolhimento

Os valores das contribuições mudam de acordo com os tipos de recolhimento escolhido e essa escolha impactar nos valores da aposentadoria que será recebida no futuro. Os diferentes tipos de contribuição recebem códigos diferentes como distribuídos abaixo:

Contribuinte Individual – Código 1007 – Nesta modalidade o contribuinte paga 20% do valor do seu rendimento total e tem direito a se aposentar por idade e tempo de serviço. Os valores declarados para o INSS precisam coincidir com os valores declarados no Imposto de Renda.

Contribuinte Individual – Código 1163 – Ao optar por este tipo de contribuição o valor recolhido será 11% sobre o valor do salário mínimo vigente e o contribuinte tem o direito de a auxílios e pensões do INSS, porem a aposentadoria ocorre somente por idade e o valor da aposentadoria será de um salário mínimo.

A guia de recolhimento do INSS pode ser preenchida pela internet, manualmente ou pelo internet banking. Antes do pagamento da guia todos os campos todas as informações precisam ser conferidas e os possíveis erros corrigidos.

2 Via Boleto Previdência Social

O pagamento da guia da previdência pode ser feita em bancos ou lotéricas até o dia 15 do mês seguinte. Se esta data for ultrapassada haverá cobrança de multas e juros cuja porcentagem pode atingir até 20% do valor original.

2-via-darf-boleto-previdencia-social

Se ocorrer o atraso no pagamento o contribuinte poderá gerar um novo documento através do programa GPS. Ao acessar o programa a opção contribuinte deverá ser solicitada e em seguida o código do contribuinte, mês de referência e PIS deverão ser inseridos.

O próprio programa realizara o cálculo informando o valor a ser pago já com os juros e multas no novo boleto INSS. O pagamento da 2º via do boleto do INSS poderá ser paga normalmente em qualquer agência bancaria, internet banking ou casas lotéricas.

O boleto INSS tem validade de 5 dias e o não pagamento implicara na necessidade de gerar novas vias.

É importante que que o contribuinte cumpra com sua obrigação para ter seus direitos garantidos.

INSS Como Regularizar as Contribuições

Regularizar as Contribuições do INSS

Estar em dia com a previdência social é fundamental para você que não quer correr o risco de perder os benefícios. Afinal de contas, todo mundo quer aposentar, poder contar com o auxílio doença se for necessário etc. Aprenda agora mesmo a regularizar as contribuições do INSS. Pague todos os débitos em atraso e fique tranquilo com relação aos benefícios previdenciários.

regularizar-contribuicoes-inss

A contribuição para a previdência é um valor que os trabalhadores pagam mensalmente, que serve como base para o cálculo da aposentadoria e demais benefícios da seguridade social. Se você está em débito com a previdência, descubra como regularizar contribuições atrasadas no INSS. O processo é muito simples, de modo que em poucos passos você estará livre dessa obrigação.

Você pode regularizar o INSS autônomo ou o INSS empresa. Tanto faz. O importante é saber que você fará isso com acréscimos e com juros, o que pode pesar um pouco no bolso. Esse valor, no entanto, poderá ser parcelado (ou em prestações), o que pode possibilitar o pagamento do INSS e o retorno dos seus benefícios, assim que conseguir quitar a dívida.

Quem não precisa regularizar INSS?

São as seguintes pessoas que não precisam regularizar o INSS:

  • Trabalhadores rurais que atuam antes de 1991
  • Trabalhador autônomo que prestou serviços a empresas
  • Quem era informal, ou seja, que não tinha carteira assinada.

Quem pode pagar INSS com atraso?

Não é todo mundo que pode pagar o INSS em atraso. São eles:

  • Quem contribui facultativamente com o INSS
  • Quem atua como profissional autônomo e paga INSS.

Regularizar INSS pela internet

É possível regularizar as contribuições do INSS pela internet. Isso mesmo, com a revolução das ferramentas digitais tudo ficou mais fácil. Você nem precisa ir até uma agência da previdência social para pagar as suas dívidas com esse órgão. Acesse agora mesmo o site da previdência e siga alguns passos simples.

A Guia da Previdência Social, também conhecida pela sigla GPS, é o documento através do qual você regularizar as contribuições e pagar o INSS. Para ter acesso a esse documento, basta acessar o site da previdência e preencher um formulário com os seus dados junto ao órgão.

regularizacao-inss-em-atraso

Como regularizar INSS com atraso

A regularização das contribuições no site do INSS é muito fácil. Em poucos minutos você terá acesso ao valor total em atraso, bem como os juros e multas que foram aplicadas ao longo do tempo. Ao fim do procedimento você terá a opção de imprimir a Guia da Previdência Social para pagamento.

No entanto, tenha em mente se o seu INSS está:

  • Prescrito: dívidas com mais de 5 anos, por meio da comprovação de ao menos uma contribuição antes dessas que não foram pagas.
  • Não prescrito: é bem mais simples de regularizar e quitar os débitos com o INSS.

Fique em dia com a seguridade social e não perca os seus benefícios. Fazer a regularização das contribuições do INSS é a melhor forma de ficar com a consciência tranquila e aproveitar as vantagens quando precisar!

MEI Auxílio Doença – Tem Direito? Carência

MicroEmpreendedor Individual Tem direito ao Auxílio Doença?

Se você é Microempreendedor Individual (MEI), está na hora de conhecer tudo sobre os seus benefícios previdenciários. Um deles e talvez o mais importante é o auxílio doença. Muita gente não sabe, mas o MEI tem direito ao auxílio doença. Para poder começar a aproveitar esse benefício tão importante para qualquer trabalhador, você precisa conhecer como ele funciona e como solicitar.

mei-tem-direito-auxilio-doenca

Acredite, nem todo mundo sabe que MEI tem direito ao auxílio doença. Infelizmente por falta de informação muitos microempreendedores individuais acabam perdendo o seu benefício do INSS. Assim, caso venha a ter algum problema que o incapacite de trabalhar, fique atento a essas dicas e saiba tudo sobre auxílio doença para MEI.

Auxílio Doença Microempreendedor Período de Carência

De acordo a legislação regente da previdência social, a carência do auxílio doença do MEI é de 12 meses. Esse prazo é contado com base no primeiro pagamento realizado pelo empreendedor. Mas a própria lei determina alguns casos em que o benefício pode ser exigido independentemente de carência. Se você sofrer algum acidente que o impeça de trabalhar, por exemplo, poderá solicitar o auxílio doença.

O período de carência do auxílio doença MEI depende da moléstia. Para os casos definidos em lei, o segurado poderá solicitar o benefício até mesmo no próprio dia em que sofrer o acidente ou adoecer. A previdência deverá pagar ao MEI um valor que seja suficiente para o sustento do segurado e também de sua família em até trinta dias.

MEI tem direito ao auxílio doença

Como visto, o microempreendedor individual tem direito ao auxílio doença, assim como outros benefícios previdenciários. Dessa forma, o MEI fica protegido contra os riscos da sua atividade.

O MEI poderá solicitar o auxílio doença sempre que for acometido de moléstia grave que torne impossível trabalhar em seu empreendimento. A lei é clara ao dizer o que o Micro Empreendedor Individual tem direito ao auxílio doença do INSS e que poderá exigir essa garantia.

auxilio-doenca-microempreendedor-individual-inss

Se você queria saber se o MEI tem direito ao auxílio doença, está na hora de procurar a Previdência e cobrar essa garantia legal. Trata-se de um benefício essencial para quem está começando um negócio e quer se sentir mais seguro para exercer suas atividades.

Requerimento auxilio doença contribuinte individual

Para requer auxílio doença do MEI, basta ligar para o atendimento do INSS, no telefone 135 e realizar o agendamento do pedido, tanto de forma eletrônica, por meio do site do INSS ou, ainda, pela web, ou em postos de atendimento do INSS. Acesse: Requerimento Auxílio Doença.

E aí, ficou alguma dúvida sobre o pedido de auxílio doença do MEI? Se tiver qualquer dúvida não hesite em telefonar gratuitamente para o INSS ou ir a algum posto de atendimento.

Não se esqueça de ter em mãos o RG, CPF, carteira de trabalho, comprovante de contribuição do INSS, laudos médicos que comprovem incapacidade temporária de trabalhar, bem como do período sugerido de afastamento. Não perca o prazo para pedir seu benefício e uma boa sorte!

Pagar INSS Dona de Casa – Valor

INSS Dona de Casa Valor

Se você, homem ou mulher, trabalha em casa de família, deve recolher a contribuição previdenciária. Essa é a única maneira de garantir os benefícios concedidos por essa instituição. Descubra agora mesmo como pagar o INSS de dona de casa e garanta já os seus direitos trabalhistas.

inss-dona-de-casa

Pagamento de INSS Dona de Casa

Existem basicamente duas modalidades de pagamento de ISS de dona de casa. Se você é dona de casa e sua família é de baixa renda, poderá contribuir com uma alíquota menor. Atualmente ela é de 5% do salário mínimo, algo em torno de R$35,00. Esse valor deve ser recolhido mensalmente para que os benefícios sejam garantidos.

Agora, se a dona de casa possuir renda familiar alta, deverá recolher com base na alíquota de 11% ou 20%. Lembrando que para comprovar que a família é de baixa renda é preciso que você possua cadastro no CadÚnico. Esse cadastro pode ser feito no CRAS da sua região. Agora que você já sabe quanto a dona de casa paga de INSS, é hora de começar a recolher.

Muitas donas de casa nem pensam em pagar INSS, pois acreditam que isso é desnecessário. Será mesmo? Infelizmente as pessoas não nascem com o “dom da adivinhação” (ao menos a maioria delas) e o futuro é algo complicado de visualizar.

Assim, contribuir com o INSS pode ser o “plano B”, caso algo dê errado futuramente.

Como pagar INSS Dona de Casa

O pagamento de INSS de dona de casa é facultativo. Dessa forma, cabe a própria dona de casa fazer o pagamento todos os meses. Apesar de ser opcional, é importante que você saiba que o único jeito de aposentar é recolhendo as contribuições. Além da aposentadoria por idade e por tempo de serviço, o trabalhador que realiza o pagamento de INSS de dona de casa tem direito ao auxílio doença.

inss-do-lar-pagamento-valor-recolhimento

Agora que você já sabe a importância de realizar o pagamento mensal, saiba como fazer isso. Através de um carnê você poderá pagar o INSS de dona de casa todos os meses. Evite atrasos no pagamento para que seus benefícios continuem em dia. Dessa forma você poderá receber uma aposentadoria no futuro. Veja como pagar acessando: Pagar INSS Autônomo.

Nunca se sabe quando se precisará de algum auxílio do INSS, não é mesmo? Assim, quando a dona de casa contribui com o INSS está pensando em ter um mínimo de aposentadoria, caso venha a precisar no futuro.

As contribuições ao INSS devem ser levadas como se fossem uma poupança a longo prazo. No entanto há quem discorde e diga que no caso de contribuintes facultativos do INSS, como donas de casa, existem outras opções de investimento no mercado que poderiam garantir um futuro mais promissor para que neles investem, como as previdências privadas, seguros e outros.

Verifique qual o melhor meio de pagar aposentadoria para dona de casa. Pode ser que o valor da aposentadoria do INSS não agrade  a todos, mas de outro lado, é quase que uma certeza que o INSS existirá por muito tempo, ao contrário dos bancos, por exemplo.

Quanto Tempo Falta para me Aposentar

Calcular Quanto Tempo Falta para Me Aposentar

Entenda as novas regras da previdência social e calcule quando receberá sua aposentadoria, bem como quanto falta para chegar até ela. As novas regras com a reforma previdência social.

Recentemente um dos principais assuntos do Brasil é as novas regras para a reforma da previdência, que manipula os processos de aposentadoria no pais. Muitos brasileiros consideraram as regras muito rígidas, sem mencionar aqueles que estavam por aposentar-se e terão que esperar ainda mais alguns anos para poder requerer a aposentadoria integral, aquela que não descontará nada do seu salário ao qual tem direto e que já pagou todos estes anos. Mas todos sabemos que também é necessária essa reforma para manter o bom funcionamento da Previdência, como vem acontecendo nos últimos anos e espera-se que continue assim no futuro.

quanto-tempo-falta-para-me-aposentar

Tendo em vista a situação colocado pela reforma da previdência social pelo governo, as pessoas estão optando por aposentar-se mais cedo, principalmente as mulheres, pois todos afirmam que não vale a pena trabalhar todos os anos tendo em vista o desgaste da população que vem crescendo a cada dia, e que fazendo previsões para o futuro, haverá um número menor de pessoas que poderão chegar a adquirir a aposentadoria do INSS no seu valor integral, com todos os anos cumpridos.

Até pouco tempo atrás, a aposentadoria poderia dar-se por idade e por tempo de contribuição. Sendo respectivamente, 30 anos para homens de tempo de contribuição, com 60 anos de idade. E para as mulheres 25 anos de contribuição com 55 anos de idade. O esperado era que esses períodos diminuíssem com o decorrer dos anos, mas com as mudanças da previdência, surgiram novas formas de cálculo para que você se faça a pergunta de quando se aposentar.

Com estas novas regras da previdência social, os homens precisarão ter no mínimo 50 anos de contribuição, com 65 anos de idade, e as mulheres com 60 anos de idade. Caso as idades não cheguem até o mínimo, ou o tempo de contribuição não chegue ao tempo mínimo de anos, a aposentadoria não será integral, e sim parcial.

A regra ficou muito dura por que as pessoas precisam ter no mínimo ambos os anos cumpridos, tanto a quantidade de anos em idade como a quantidade de anos em contribuição. Caso não tiver atingido o mínimo em algum dos dois, a aposentadoria não será integral. Veja no a seguir alguns dos cálculos para que você saiba quando se aposentar.

Aposentadoria INSS Simulação

Simulação de aposentadoria com as novas regras da previdência social.

simular-aposentadoria-calculo

Para muitas pessoas, o cálculo de quando se aposentar fica simples, mas muito demorado. Em relação ao tempo que precisarão para aposentar-se. As pessoas terão que iniciar as atividades no mínimo com 16 anos para que possam para poder aposentar-se mais cedo, com 50 anos de contribuição. No entanto, existem muitas pessoas que somente vão para o mercado de trabalho após formar-se na faculdade, sendo assim, os mesmo já não terão chance=s de aposentar-se se fizermos os cálculos corretos, pois terão que trabalhar até após os 70 anos, e quem cursa o ensino superior não pretende deixar de trabalhar tão tarde.

Acesse: Simulação Aposentadoria INSS

Com isso, faça já seu cálculo de quando se aposentar para verificar se existe a possibilidade de receber a aposentadoria integral, caso contrário, corra a trás de atividades que garantam a renda para sua aposentadoria.

Aposentadoria do Professor Novas Regras

Novas Regras de Aposentadoria do Professor

Entenda como as novas regras da aposentadoria podem prejudicar os professores da rede de ensino pública e privada. Conheça as novas regras para Aposentadoria dos Professores, e como os mesmos estão agindo devido a ela.

Vários professores estão reclamando devido a nova regra para Aposentadoria de Professores, instituída pelo governo. Estas novas regras incluem a mudança no tempo de contribuição e na idade dos trabalhadores que dão aula nos regimes de ensino fundamental e ensino médio. A maioria destas mudanças, principalmente as que envolvem a previdência com a aposentadoria, estão gerando prejuízos não somente aos professores, como também aos demais trabalhadores normais.

aposentadoria-do-professor-inss

Atualmente, os professores que trabalham tanto nos regimes público e privado possuem um regime especial de aposentadoria. Os homens podem aposentar-se com 30 anos de contribuição e 55 anos de idade, e as mulheres com 25 anos de contribuição e com 50 anos de idade. Esta forma especial de aposentadoria destinada aos professores devido ao desgaste que o trabalho de lecionar proporciona às pessoas.

Com as novas regras da aposentadoria, os professores da rede de ensino fundamental e ensino médio, terão que aposentar-se com as mesmas regras que os outros trabalhadores normais. Ou seja, com 30 anos de contribuição e 65 anos de idade para homens, e 30 anos de contribuição com 60 anos de idade para mulheres. Tal regra nova causa bastante prejuízo para os professores, os quais se exaustam devido a profissão.

novas-regras-aposentadoria-professor-inss

O que os professores fazendo com as nova regras da aposentadoria?

Muitos dos professores já se afastaram e pediram atestados anteriormente devido ao estrese que a profissão gera. Principalmente para quem trabalha no ensino fundamental. Com isso, a ideia de muitos e poder deixar a profissão e pensar em alguma opção para manter-se dispostos aos trabalhos de lição, tal como reduzir a carga horaria de trabalho em sala de aula, destinar mais tempo a atividades extracurriculares, a fim de evitar o desgaste muito cedo da profissão.

Esta novas regras da Aposentadoria dos Professores veio em conjunto com o estabelecimento da nova PEC estabelecida pelo governo Temer e que também gerou vários transtornos aos professores. Estes fizeram várias greves afim de evitar que a mesma seja autorizada, mas no início do ano o governo já estabeleceu que a nova PEC para os professores e o sistema da previdência social para que a aposentadoria seja igual ao dos demais trabalhadores.

Saiba mais sobre o assunto acessando: Reforma da Previdência, o que muda?

Muitos dos professores também estão pensando em uma nova estratégia para fugir das novas regras da aposentadoria. Caso os mesmos se aposentem hoje, poderão estar recebendo um salário de aposentadoria bem menor do que receberiam com as regras anteriores. Mas os mesmos poderão estar se desligando da profissão e tentando realizar outras atividades para contribuir com a sua renda. Para muitos esta estratégia não e a mais ideal, pois ainda estarão no prejuízo, mas com o desgaste da profissão de professores os mesmos pelo menos poderão estar descansando mais cedo.

Tabela Aposentadoria do Professor INSS

simulacao-aposentadoria-professor

Simulador Aposentadoria do INSS para Professor

Se deseja fazer uma simulação de sua aposentadoria, acesse o seguinte endereço e preencha todos os dados: www.cgu.gov.br/simulador

Tempo de Serviço INSS Averbação

Averbação de Tempo de Serviço INSS

Você que é funcionário publico, saiba como fazer a averbação do seu tempo de contribuição com o INSS e obter os seus benefícios aos quais tem direito. Conheça a certidão de tempo de contribuição ao INSS.

Muitas pessoas já precisaram passar por esta solicitação para obter a aposentadoria do INSS. Saibam que, no momento em que as pessoas passam em algum concurso púbico, tanto seja federa, estadual ou municipal, os períodos contribuídos com o INSS não são somados automaticamente das empresas privadas onde trabalhou anteriormente, para que os mesmos sejam somados, é preciso solicitar a certidão do tempo de contribuição no INSS para que o setor de recursos humanos possa fazer a averbação.

tempo-de-servico-inss-averbacao

Nos casos em que as pessoas tenham saído de um cargo público, e comessem a trabalhar em uma empresa privada, também é preciso fazer esta solicitação de Tempo de Serviço INSS, para que possam somar-se os períodos trabalhados, e poder obter sua aposentadoria corretamente no tempo calculado.

Certidão de tempo de contribuição INSS

Esta solicitação pode ser feita para confirmar que as pessoas que trabalharam no setor público continuaram contribuindo com o Tempo de Serviço do INSS durante o trabalho no cargo público, portanto, é um documento exclusivo dos servidores que precisam estar fazendo a solicitação pessoalmente no órgão. Para que o tempo de contribuição não comesse a somar do zero a partir do momento em que exerce uma profissão pública, e sejam somados os períodos em que contribuiu no INSS com as empresas privadas onde já trabalhou.

A averbação é preciso ser feita no RH da empresa onde a pessoa está trabalhando. No entanto, para que a mesma obtenha a documentação é preciso ir junto à uma unidade mais próxima do INSS, para fazer a solicitação do documento que comprove o seu Tempo de Serviço no órgão, e assim possa obter seus direitos.

Fazer averbação INSS Solicitação

Para dar inicio a esta solicitação, é preciso agendar a visita a traves do telefone 135, ou no site da Previdência Social. Já na data de visita ao local, as pessoas precisam levar um documento com foto, podendo ser RG e o seu respectivo CPF. Caso as mesmas desejem que o atendimento seja feito de forma agilizada e facilitar os procedimentos, também podem estar levando os comprovantes que identifiquem o Tempo de Serviço INSS das empresas onde já trabalhou.

averbacao-tempo-de-servico-inss

Estes comprovantes do INSS podem ser tanto a carteira de trabalho do profissional, como os carnês de pagamento do serviço e outros comprovantes de contribuição. Para as pessoas que trabalharam como autônomas e fizeram o recolhimento do INSS, é preciso que levem as guias de pagamento.

Além de toda essa documentação, as pessoas que já foram servidores públicos precisam levar o documento oficial do órgão de lotação. Este permite identificar que o mesmo estava ativo no momento em que solicitou a certidão para fazer a averbação. Este documento deve conter algumas informações importantes, tais como o CNPJ, o nome e o endereço da onde presta seus serviços.

Funrural Como Funciona, Calcular, Recolher, Alíquota

Funrural Como Funciona?

Entenda Como Funciona o Funrural e qual é a briga de muitos produtores com o governo referente a essa cobrança. Mais uma retenção ao trabalhador rural, caso deseje ter acesso aos benefícios da Previdência, deverá conhecer o Funrural.

Uma novidade que atingiu e deixou duvidas em muitos trabalhadores rurais logo no inicio de 2017. O Supremo Tribunal de Justiça lançou a informação m março deste ano, que os trabalhadores rurais precisarão pagar uma taxa para ter direito a aposentadoria, esta é conhecida como o Funrural.

funrural-como-funciona-aliquota

Como Recolher o FUNRURAL

O Funrural é o chamado Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural. Este serve para que os trabalhadores rurais possam ter direito aos benefícios da aposentadoria. Como na vida de um trabalhador registrado em regime CLT que tem todos os meses descontados em seu salário o valor destinado à Previdência Social, no trabalhador rural é difícil de fazer este calculo. É para isso que foi criado este sistema, para entender melhor Como Funciona o Funrural, veja este artigo até o final e tire suas dúvidas.

Muitos trabalhadores da cidade devem entender Como Funciona o Funrural, a duvida fica apenas para os pequenos produtores: esta é uma alíquota que será descontada do faturamento do mesmo, já que o trabalhador rural não possui o salario fixo, esse valor é calculado sobre o seu faturamento, onde estará destinando uma pequena parte para a previdência. O Funrural veio para substituir o Prorural, outro sistema antigamente criado para beneficiar os trabalhadores rurais.

Funrural Cálculo

Na vida do trabalhador é descontada uma porcentagem do seu salario para a previdência, no caso do trabalhador rural é descontada também uma alíquota, no entanto esta é bem menor do que a descontada no trabalho em regime CLT. Esta alíquota é de 2,10% sobre o faturamento do trabalhador rural, e servirá como base para poder entender como calcular o Funrural para cada caso do faturamento do campo.

O problema que muitos trabalhadores encontraram é do pagamento de multas caso esta alíquota não seja paga corretamente. Ainda mais quando a mesma foi lançada, mas não tinha sido aprovada e muitos acabaram não fazendo o pagamento, bem como outros pagaram valores além dos devidos ao Funrural.

funrural

Funrural Alíquota

Para a situação dos que ainda não estavam fazendo os pagamentos, é possível que o governo faça o financiamento da dívida e surjam novas possibilidades de como calcular o Funrural. Já para aqueles que pagaram valores excessivos, serão retornados os valores que sobressaíram na alíquota correta.

Caso você seja um trabalhador rural, não deixe de acompanhar as noticias desta alíquota tanto na televisão como na internet, pois a mesma foi implantada apenas este ano ainda está sofrendo divergências em relação ao pagamento da mesma. Principalmente para trabalhadores rurais maiores, que possuem funcionários e que precisam ainda pagar esta alíquota, as divergências encontram-se traçadas em relação à esta situação: trabalhador grande x trabalhador pequeno, no qual os maiores podem sair prejudicados com o pagamento desta alíquota.

INSS Novo Simulador Aposentadoria

Novo Simulador de Aposentadoria INSS

Para você que está perto de se aposentar, ou você que tem curiosidade em saber quanto tempo está faltando para a tão sonhada aposentadoria, o site do ministério da previdência social, que se encontra no endereço www.previdencia.gov.br, pode te dar essas informações, a seguir algumas dicas para o acesso deste novo simulador da aposentadoria INSS.

 novo-simulador-de-aposentadoria-inss

Mas antes de entrar nas dicas, vou explicar um pouco sobre a previdência. Ela é um seguro que garante que o contribuinte, receberá sua aposentadoria ao parar de trabalhar, e não só isso, ela também garante outros benefícios, em caso de doenças, morte, desemprego e até mesmo se o contribuinte for preso.

E para ter todos esses benefícios, é necessário pagar um certo valor mensal durante um determinado período ao INSS.

Este período de contribuição, depende muito do tipo de aposentadoria. E com essa contribuição mensal, este benefício vai substituir o salário do contribuinte quando ele parar de exercer sua função. Mas agora vamos ao que interessa, como acessar o novo simulador de aposentadoria do INSS.

Site Simulador INSS

Após acessar o endereço citado acima, vamos aprender como entrar na área de simulação. Bom ao acessar o site, você já consegue enxergar uma seção que está escrito ”Benefícios da previdência social’’, nesta seção, você pode selecionar o que deseja, como aposentadorias, auxílios e pensões, mas como o assunto é aposentadoria, você vai selecionar esta opção de aposentadoria.

Calculo da Nova Aposentadoria INSS

Quando você entrar nesta opção no novo simulador de aposentadoria do INSS, você pode fazer dois tipos de cálculos, o primeiro é baseado no tempo que você tem de contribuição, já o segundo, vai te dar a permissão de fazer o cálculo do valor do seu benefício.

 O que você precisa informar para realizar a consulta online?

Para o cálculo ocorrer, é necessário informar algumas coisas, que são elas, o seu tempo de contribuição do INSS, sua idade, sexo(masculino ou feminino), e após isso, ele te dará o ano, no qual você vai poder se aposentar. E enfim você vai poder saber, em qual ano você vai poder, reivindicar sua aposentadoria ao INSS.

Mas todas essas opções no novo simulador de aposentadoria do INSS, são para as pessoas que trabalham em empresas privadas.

novo-simulador-aposentadoria-funcionario-publico

Simulador de Aposentadoria Servidor Público

Pessoas que não trabalham em empresas privadas:

Agora você deve estar se perguntando, mas e se eu não sou integrante de uma empresa privada, como faço para conseguir ver, quanto tempo falta para a minha aposentadoria?

É claro que tenho a resposta para você, pois durante o ano de 2008, a CGU ou melhor a controladoria-geral da União, lançou um sistema, que tem funcionamento parecido com o novo simulador de aposentadoria do INSS, entretanto, ele é dirigido somente aos benefícios que o servidor público receberá, quando sua carreira terminar, e o dia de sua aposentadoria chegar.

Então se você está é servidor público, basta acessar www.cgu.gov.br/simulador, e informar os dados que estão sendo pedidos, e então você poderá ver quanto tempo e em que ano sua aposentadoria vai ocorrer.

Como fazer Contribuição INSS Autônomo

Contribuição INSS Autônomo

O autônomo INSS é um tipo de trabalhador que pode fazer a sua contribuição para a Previdência Social. A Previdência passou por significativas alterações nos últimos anos e hoje está permitindo a contribuição de diferentes profissionais, mesmo aqueles que não são registrados, como é o caso daqueles vinculados a CLT.

inss-autonomo-inscricao

Hoje em dia está mais fácil fazer a contribuição para Previdência Social e assim garantir os nossos benefícios vinculados ao mesmo. Essa questão sempre preocupou a maioria das pessoas, principalmente aquelas que não possuíam contratos formais com empresas. Agora é possível contribuir e aqui deixaremos as inscrições necessárias sobre como funciona.

Inscrição Autônomo INSS

O primeiro passo é realizar a inscrição autônomo INSS para que você possa ser enquadradonesse tipo de contribuinte. Esse tipo de contribuição é destinado para aqueles profissionais que prestam serviço para pessoa física e precisam contribuir para previdência mensalmente.

Inicialmente, o processo pode ser um pouco trabalhoso, mas é importante entender o passo a passo para que você possa fazer a sua contribuição de forma correta. A partir do momento em que você passa a contribuir para a Previdência, é possível ter acesso a vários benefícios que fazem a diferença na vida do trabalhador.

  • O cadastro autônomo INSS inicial poderá ocorrer diretamente no site da Previdência Social, acesse e faça o seu: previdencia.gov.br

A Previdência Social informatizou esses serviços pelo fato de que a procura pelo mesmo é grande, acessando o link que disponibilizamos abaixo você vai perceber que o cadastro é permitido tanto para quem está na condição de filiado, como também para quem está na condição de não filiado.

Depois que você está cadastrado como autônomo INSS, o próximo passo é fazer o pagamento mensal para que você possa fazer o recolhimento da sua contribuição. Procure evitar atrasos porque isso pode trazer alguns pontos negativos, principalmente se você for precisar de algum benefício vinculado a sua contribuição.

inss-autonomo-contribuicao-recolhimento

Contribuição do Autônomo INSS

A contribuição autônomo INSS está válida já há alguns anos e isso vem fazendo a diferença na vida de inúmeros trabalhadores que não eram registrados formalmente. Além desse tipo de contribuição, a Previdência também permite que a pessoa seja enquadrada como MEI e também como pessoa jurídica. Vale a pena dar uma olhada em todos os tipos de contribuições que a Previdência está disponibilizando.

Só consegue se enquadrar como autônomo INSS aquela pessoa que trabalha por conta própria e presta serviço para pessoa física, nesse caso, ele será enquadrado como contribuinte individual. Para aqueles que prestam serviços para pessoas jurídicas é necessário verificar outros tipos de enquadramento disponíveis, para maiores detalhes acesse: Como Pagar INSS Autônomo.

Caso você seja um autônomo, não deixe de estar solicitando a sua contribuição. Atualmente, a Previdência disponibiliza vários tipos de benefícios, aposentadoria, entre outras. Mas para que você possa ter acesso e possa solicitar os seus direitos é necessário fazer a contribuição mensalmente e dentro dos prazos de vencimento do boleto.

Todas as orientações que você precisa saber estarão disponíveis também diretamente no site da Previdência Social. O Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) é o órgão vinculado à Previdência e que é responsável pelo recebimento dos pagamentos e também pela concessão dos benefícios.

Aposentadoria do Trabalhador Rural INSS

Trabalhador Rural – Como aposentar no INSS

Podemos ver a grande luta dos trabalhadores rurais para ter sua aposentadoria do INSS liberada, pois é preciso iniciar um processo, para constatar todas as normas pedidas pela previdência social. Têm direito ao benefício os trabalhadores urbanos do sexo masculino a partir dos 65 anos e do sexo feminino a partir dos 60 anos de idade. Os trabalhadores rurais podem pedir aposentadoria por idade com cinco anos a menos: a partir dos 60 anos, homens, e a partir dos 55 anos, mulheres.

trabalhador-rural-aposentadoria

Para ocorrer o esperado pelo trabalhador rural, é preciso comprovar todas as necessidades da previdência Social, pois é indispensável à testemunha presente, o trabalhador rural deve comprovar o efetivo exercício de atividade rural, ainda que de forma descontínua, no período imediatamente anterior ao requerimento do benefício, por tempo igual ao número de meses de contribuição correspondente à carência do benefício pretendido, computado o período  a que se referem os incisos III a VIII do § 9o do art. 11 desta Lei.

Requisitos aposentadoria rural

Para se aposentar, além da idade, é necessário que o trabalhador rural comprove que trabalhou durante no mínimo 180 meses (15 anos). Para comprovação da atividade rural em regime de economia familiar é necessária uma prova documental. Você pode usar documentos como o CTPS, o contrato de arrendamento, parceria ou comodato rural, declaração do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, algo que comprove seu cadastramento no INCRA, além de notas fiscais de entrega de mercadoria agrícola já que são admitidos como prova de atividade rural.

Documentação aposentadoria rural

É necessário ter em mãos o CPF, carteira de trabalho além dos carnês de contribuição ao INSS, documentos que provem a condição de segurado especial como dito anteriormente.

Para dar inicio ao processo de aposentadoria, agende um horário no site do INSS.

  • Após entrar no site, selecione o serviço desejado, no seu caso procure por “Aposentadoria por idade rural (atendimento presencial – agendamento)”.
  • Após selecionar esta opção, a página irá se atualizar e te dará algumas informações importantes e que você deve seguir até o dia do atendimento presencial.
  • Após ler os dados, preencha o campo de texto com a imagem referente ao balão de caracteres, prossiga em “Ok”.
  • Agora é necessário informar alguns de seus dados pessoais, tais como o CPF, a data de nascimento, além do seu nome completo.
  • No cadastro de agendamento ainda é pedido uma forma de contato, você deve deixar o número de telefone móvel ou fixo ou também o seu endereço eletrônico (e-mail).
  • Agora, você precisará enviar a documentação pedida no final dos termos em que você leu.
  • Neste passo, você selecionará a unidade mais próxima do serviço de você.
  • Agora você terá de confirmar seu requerimento e após isso você terá em mãos o comprovante do requerimento, é importante imprimi-lo.

Feito isso, você estará com data, hora e local do agendamento para dar-se inicio a sua aposentadoria.

trabalhador-rural-previdencia-social

Os documentos elencados nesse rol de início de prova material são o RG, CPF, Certidão de Casamento, Certidão de Óbito, Carteira de Trabalho, Atestado Médico, Título Eleitoral, Certidão de Reservista, Certidão de Nascimento dos filhos, Lembrança da Comunhão, Histórico Escolar, Certidão de Conclusão de Curso Primário, Contrato de Arrendamento Rural, Certidão do INCRA, Escritura Pública, Ficha de Sócio do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Notas de Produtor Rural, Guias de Recolhimento do ITR e CCIR, entre outros.

Se você se encaixa nas normas de aposentadoria Rural, passe a se informar em uma das agencia mais próxima de você da Previdência Social, e assim você poderá ter acompanhamento diário pelo site da previdência Social, de como resolver suas duvidas sobre sua aposentadoria.

Fator Previdenciário – O que é e Como Calcular

Como Calcular o Fator Previdenciário do INSS

A partir da Lei Nº 9.876, foi aprovado no ano de 1999 o Fator Previdenciário, que foi criado tendo a finalidade de fazer com que fosse reduzido o valor dos benefícios previdenciários, durante a sua concessão, assim de maneira que fosse proporcional inversamente à idade do segurado em relação à aposentadoria. Isso significa que quanto menor for a idade de aposentadoria, maior será o redutor e, logo, o valor do benefício será menor. A seguir, confira mais detalhes sobre O que é Fator Previdenciário do INSS.

fator-previdenciario

O que é Fator Previdenciário?

Resumindo, o Fator Previdenciário funciona como uma análise dos seguintes fatores: tempo de contribuição do trabalhador para com o governo + sua idade + a expectativa de vida dele no momento de sua aposentadoria. O cálculo desses fatores é o resultado esperado pelo Fator Previdenciário, e o motivo para ele ter sido criado.

Como Calcular o Fator Previdenciário?

O cálculo do Fator Previdenciário inclui dois fatores fundamentais, que são:

Tempo de contribuição – que é bastante influente no resultado final, já que a regra do Fator Previdenciário é: quanto menor o tempo de contribuição, maior será o valor reduzido no valor do benefício, e quanto maior o tempo de contribuição, o redutor será menor o que aumentará o valor do benefício.

Expectativa de vida – que também tem bastante Influência no valor do benefício, já que as regras do Fator Previdenciário dizem que quanto maior a expectativa de vida do contribuinte, menor será o valor do benefício.

Aprenda Como Calcular o Fator Previdenciário:

O Fator Previdenciário (que no cálculo é o F) é calculado considerando as seguintes variáveis:

Id – que representa a Idade do contribuinte [no momento da aposentadoria];
Es – que representa a Expectativa de vida;
Tc = que representa o Tempo de Contribuição;
a = 0,31 que é a alíquota da soma da contribuição de empregado e empregador.

A fórmula para Calcular o Fator Previdenciário

F = Tc x  a  x  Id + (Tc x a)

Es              100 + 1

Contribuinte Individual e Facultativo

INSS Contribuinte Individual e Facultativo

Se você não é assalariado via CLT, veja como pode contribuir com o INSS e garantir sua aposentadoria no futuro. Entenda as diferenças entre um Contribuinte Individual e facultativo.

Além dos trabalhadores registrados e de carteira assinada que contribuem obrigatoriamente com o INSS, existem outros tipos de contribuições que a previdência social aceita, como é o caso do Contribuinte Individual e Facultativo. Vamos ver mais detalhes sobre esse dois tipos de contribuições o individual e facultativo.

Contribuinte-Individual-Facultativo-300x247

Para a maioria da população que trabalha em regime CLT, com carteira assinada, não existe uma grande preocupação e cuidado com a contribuição ao INSS, já que, a empresa onde trabalha desconta mensalmente do seu salário, e essa mensalidade é destinada ao INSS para que possa aposentar-se no futuro.

Já existem pessoas que precisam mensalmente estar realizando esta contribuição por elas mesmas, ou pelos seus contadores. Estas pessoas são aquelas que não possuem uma renda mensal fixa, que não trabalham com carteira assinada, mas que exercem alguma atividade e são remuneradas com isso.

É este público que se subdivide em dois tipos: o Contribuinte Individual e o Contribuinte Facultativo. Como não existe uma empresa que se encarregue de realizar o deposito do valor para o INSS, eles precisam fazer esta contribuição de outra forma, para que possam garantir sua aposentadoria. Um dos benefícios deste público é que os mesmos não possuem muitas regras sobre mínimos e máximos de valores para contribuição, apenas precisam estar de acordo com as regras impostas pela previdência social, e tentar fazer esta contribuição todos os meses, assim como elas são realizadas para os contribuintes em regime de carteira assinada.

Quem é o Contribuinte individual?

A categoria Contribuinte individual do INSS é a categoria em que estão aquelas pessoas chamadas de autônomas, ou seja, que trabalham por conta própria, assim como trabalhadores que prestam serviços eventuais para empresas, não possuindo assim um vínculo de emprego oficial. Os contribuintes individuais também são, entre outros, os motoristas de táxi, os sacerdotes, os pintores, os vendedores ambulantes, as diaristas, os eletricistas, os síndicos renumerados, os trabalhadores associados às cooperativas de trabalho, etc.

Quem é o Segurado facultativo?

A categoria Segurado facultativo do INSS é a categoria em que estão aquelas pessoas com idade maior que 16 anos e que não possuem uma renda própria, mas escolhem contribuir, de acordo com as exigências, com a Previdência Social. Os segurados facultativos são: os estudantes, as donas-de-casa, os síndicos de condomínio que estão na categoria não-remunerados, os estudantes bolsistas, os desempregados, além dos presidiários não-remunerados.

Tanto o contribuinte individual quanto o facultativo devem estar filiados devidamente ao Regime Geral de Previdência Social. A contribuição do contribuinte individual e facultativo é de 20% sobre o salário-de-contribuição. Além disso, o contribuinte individual tem a obrigação de complementar, diretamente, o valor da contribuição caso as renumerações do mês for inferior ao valor mínimo do salário-de-contribuição mensal.

O salário-de-contribuição para o contribuinte individual é a sua remuneração pela empresa em que trabalhou ou pelo exercício de sua atividade por conta própria. Já para o segurado facultativo, o salário-de-contribuição é o valor declarado por ele, durante o mês, tendo como observação os limites mínimo e máximo do salário-de-contribuição.

Contribuinte Individual – Recolhimento

Recolhimento Contribuinte Individual INSS – Pagar Mensal, Retroativo e em Atraso

Existem três tipos de contribuintes da Previdência Social: o Contribuinte Individual, o contribuinte Facultativo e o Doméstico. Estaremos falando aqui em especial do Contribuinte Individual, que é aquele que tem renda pelo trabalho, sem estar na qualidade de empregado. Confira mais informações sobre como funciona o Recolhimento para o Contribuinte Individual.

contribuinte-individual-inss

Sobre o Recolhimento, caso o Contribuinte Individual preste serviço apenas para empresas, sofrerá este o desconto devido ocasião do recebimento pelo serviço que foi prestado, sendo assim a empresa obrigada a repassar ao INSS o devido desconto, e neste caso, portanto, o contribuinte individual não será o responsável pelo recolhimento da sua contribuição do INSS.

O Contribuinte Individual do INSS no caso daquele tipo de que presta seus serviços a essas duas categorias: empresas e pessoas físicas, ao mesmo tempo, então deverá ser observado uma coisa – se nas contribuições, que sofrem desconto por parte das empresas, o limite máximo permitido por mês já foi atingido, porque caso esse limite não tenha sido atingido ainda, o contribuinte individual deve, por conta própria, fazer o recolhimento sobre os serviços prestados também a pessoas físicas até que se atinja o tal limite.

Se o contribuinte individual prestar serviços exclusivamente apenas para pessoas físicas, será ele que, por conta própria, deverá fazer o recolhimento de toda a sua contribuição, que deve ser calculada sobre o efetivamente recebido. Lembrando que nesse devem ser observados também os limites legais, que são representados pela base de cálculo da contribuição que no total não poderá ser inferior ao salário-mínimo, que atualmente está em R$- 622,00 desde 01/01/2012, assim como também não pode ser superior ao limite-máximo que é de R$- 3.916,20.

Para mais informações sobre todas as alterações que ocorreram no sistema de Recolhimento do Contribuinte Individual que pode ser pago mensal e retroativo acesse a página a seguir e saiba como pagar mesmo em atraso o recolhimento que já se encontra em vigor desde 01 de abril de 2003, confira: http://contabilizando.com/perguntaoci.htm.

Contribuinte Individual e Contribuinte Facultativo – Entenda as diferenças

Primeiramente é possível entender a situação do Contribuinte Individual, que é aquele considerado como autônomo, gera a sua própria renda e na maioria dos casos possui a sua própria empresa, a traves do regime MEI – Micro Empreendedor Individual. Estas pessoas trabalham para si mesmas, e geralmente prestam seus serviços de forma terceirizada para outras empresas.

Já o Contribuinte Facultativo é aquele que não possui sua empresa própria, não é um empregado com carteira assinada, mas ainda assim recebe uma renda mensal. Geralmente são aqueles jovens que possuem menos de 16 anos, os quais não podem trabalhar em regime CLT e também não podem ter empresas no seu próprio nome. Neste caso é possível mencionar como Contribuinte Facultativo aquela pessoa que recebe uma bolsa de uma instituição educadora, como estudante, ou trabalha como dona de casa, aquelas pessoas que prestam serviços sem vinculo, dentre outras.

Nestes casos, existe um padrão de contribuição para oINSS, que é de 20% do salario recebido pelos contribuintes facultativos. Já para o caso anterior, as pessoas podem fazer compensação de contribuição, em meses que recebem um rendimento maior em diferença de outros anteriores.

Com isso, saiba que se você não está trabalhando em regime de carteira assinada, ainda pode contribuir com o INSS e garantir sua aposentadoria junto à Previdência Social. Não deixe de conferir com estas entidades em qual dos casos se encaixa melhor a sua situação e comesse a contribuir com quem estará com você no futuro.