INSS Tabela de Contribuição Mensal dos Segurados

Tabela de Contribuição Mensal dos Segurados INSS

O Instituto Nacional da Seguridade Social é um dos órgãos mais importantes no que importa ao INSS. A contribuição INSS pode ser obrigatória ou facultativa. Será obrigatória quando a lei assim obrigar. Nesses casos, já há o desconto da contribuição INSS da folha de pagamento.

Mas há pessoas que contribuem com INSS se quiserem. Logo, nessas hipóteses, fica a critério do trabalhador fazer recolhimento INSS por meio da guia GPS.

inss-tabela

Tabela de contribuição mensal INSS

Como se sabe, para o INSS quem paga mais, ganha mais. Assim, há diversas faixas de pagamento INSS com valores diferentes.

Há percentuais (alíquotas INSS) diferentes para salários igualmente diferentes. Mas onde consultar faixas de salários e alíquotas INSS? Você pode fazer isso por meio da Tabela INSS, onde saberá quanto deve pagar ao INSS.

Tabela INSS de contribuição mensal

Tabela para Empregado, Empregado Doméstico e Trabalhador Avulso
Salário de Contribuição (R$) Alíquota
Até R$ 1.693,72 8%
De R$ 1.693,73 a R$ 2.822,90 9%
De R$ 2.822,91 até R$ 5.645,80 11%

 

Tabela para Contribuinte Individual e Facultativo
Salário de Contribuição (R$) Alíquota Valor
R$ 954,00 5% (não dá direito a Aposentadoria por Tempo de Contribuição e Certidão de Tempo de Contribuição)* R$ 47,70
R$ 954,00 11% (não dá direito a Aposentadoria por Tempo de Contribuição e Certidão de Tempo de Contribuição)** R$ 104,94
R$ 954,00 até R$ 5.645,80 20% Entre R$ 190,80 (salário mínimo) e R$ 1.129,16 (teto)

*Só para lembrar essa tabela é atualizada todos os anos, para conferir a tabela vigente acesse: www.inss.gov.br/servicos-do-inss/calculo-da-guia-da-previdencia-social-gps/tabela-de-contribuicao-mensal/

Como identificar o desconto do INSS na folha de pagamento?

No caso de pessoas que tenham desconto INSS da folha de pagamento, é só pegar o seu contracheque e encontrar “Contribuição do INSS”.

Como recolher INSS guia GPS?

Mas no caso de contribuintes facultativos e individuais, como pagar INSS? Todo o mês essas pessoas precisarão tirar do site da Receita Federal a Guia GPS para pagamento do INSS.

Por meio da Guia GPS você poderá ir a agências bancárias e loterias e efetuar o pagamento. Guarde bem o comprovante para que você não tenha problemas caso haja algum erro, por exemplo.

É importante também que a guia GPS seja paga sem atrasos. Isso porque incide juros e multa sobre INSS atrasado. Logo, a depender do tempo de atraso esses juros e multa do INSS podem ser realmente bem altos e atrapalhar o bolso.

E para quem está com INSS irregular, caso não regularize, não terá esse tempo de INSS atrasado computado para efeitos de benefícios, pensões e aposentadorias,

Assim sendo, imagina ficar sem cobertura do INSS bem quando precisar? Essa é uma situação delicada e que muitas pessoas acabam perdendo benefícios INSS porque esqueceram de pagar a guia GPS ou não pagaram o atrasado do INSS no tempo devido.

No caso de pessoas que podem ter mais de um emprego registrado, como domésticos, avulsos ou outras profissões como médicos e enfermeiros, professores etc., todos os salários devem ser somados para que a pessoa pague INSS. Isso porque há um valor máximo a ser pago de INSS e ele não pode ser ultrapassado.

Assim, essas pessoas não podem pagar INSS duas vezes por mês, já que receberá em troca apenas um benefício por vez. Uma pessoa jamais terá duas aposentadorias INSS, para que você tenha ideia.

Logo, a alíquota INSS vai incidir sobre uma outra base de cálculo, que é a soma dos salários dessa pessoa.

tabela-de-contribuicao-mensal-inss

Essa é uma dúvida bem pertinente e recorrente. Assim, caso você tenha pago INSS duas vezes pode ter perdido dinheiro. Assim, você pode pedir o auxílio de profissional qualificado para ver o que pode fazer, como a devolução de valores pagos indevidamente pelo INSS, com o acréscimo de correção monetária e até mesmo uma indenização, caso a culpa não tenha sido sua.

Estar em dia com o INSS, seja você contribuinte obrigatório ou não é bem importante para que você não se perca nos cálculos – ou nem sequer perca documentos que comprovem seu vínculo, por exemplo. Com o passar do tempo, muitas pessoas acabam tendo problemas para conseguir aposentadoria porque não levam a documentação em período recente e acabam tendo que trabalhar mais do que deveriam para cumprir os requisitos do INSS.

Portal Meu INSS

Tirou todas as suas dúvidas a respeito do desconto do INSS na folha de pagamento? Se não, entre em contato com o INSS, seja pelo telefone 153, nos postos do INSS ou pelo site da internet, no Portal Meu INSS.

O Portal Meu INSS tem todo o seu histórico de contribuições, datas de pagamento, declarações, agendamentos, solicitações de diversas ordens, para que você possa ter conforto e comodidade na hora de solicitar serviços INSS.

Chega de agências lotadas e de pegar filas! Agora o atendimento do INSS pode ser feito da sua casa e gratuitamente.

Contribuinte Facultativo Recolhimento em Atraso

O que é contribuinte facultativo?

O contribuinte facultativo é aquele cujo recolhimento de INSS não é obrigatório. Entretanto o contribuinte facultativo tem a opção de recolher ao INSS.

contribuinte-facultativo-recolhimento-atraso

Estão entre os contribuintes facultativos os profissionais autônomos ou aqueles como os contribuintes individuais. Pessoas como donas de casa, por exemplo, também podem contribuir ao INSS para garantir aposentadoria e outros benefícios quando precisarem.

O cidadão que não realiza atividade remunerada cujo recolhimento ao INSS não é obrigatório também pode contribuir ao INSS.

O contribuinte facultativo não tem obrigação de contribuir, logo, ele não pode ser cobrado por contribuições eventualmente vencidas, ou aquelas que ele tenha deixado de fazer.

Tipos de contribuições facultativas do INSS

O INSS tem diversos tipos de contribuições para segurados facultativos. Uma delas é aquela para beneficiário do INSS que já se inscreveu na Previdência Social, mas que deixou de trabalhar com carteira assinada entretanto quer manter as contribuições previdenciárias durante o tempo em que fica sem trabalho.

A segunda forma é o beneficiário do INSS que faz inscrição pela primeira vez. Nessa hipótese o segurado terá que contribuir a partir do mês em que se cadastrou no INSS.

Contribuições atrasadas INSS segurado facultativo

Mas se se mesmo assim o segurado do INSS quer recolher parcelas atrasadas ele não pode pagar parcelas vencidas a mais de 6 meses da última contribuição que pagou em dia. Exemplo disso é um segurado que contribuiu pela última vez em novembro de 2017, mas deixou de recolher até o mês de dezembro de 2017.

Assim ele deveria pagar essa parcela até janeiro de 2019. Essa é uma hipótese em que a parcela pode ser recolhida mesmo em atraso caso o beneficiário tenha decidido voltar a contribuir com o INSS. No entanto se passar desse período ou segurado facultativo não poderá pagar as contribuições em atraso.

Caso tenha alguma dúvida, não deixe de entrar em contato com o INSS.

contribuinte-facultativo-inss

Recolhimento contribuinte obrigatório

Para o contribuinte obrigatório, a coisa muda de figura. Como o próprio nome já diz, eles são obrigados a recolher ao INSS, que é o caso de muitos trabalhadores com carteira assinada, servidores públicos comissionados, dentre outros.

A falta de pagamento do INSS gera, em qualquer caso, juros e multas. Essa pode se tornar uma grande dívida se não paga em tempo. Além disso, a falta de recolhimento do INSS para essas pessoas pode trazer grandes transtornos. Imagine ficar doente, precisar de auxílio doença e não poder tê-lo porque o recolhimento do INSS está em atrasado?

Essa é uma situação bem comum. A diferença, em conclusão, entre os contribuintes facultativos e obrigatórios INSS é que geralmente o recolhimento de INSS dos obrigatórios é descontado ainda na folha de pagamento, o que já ajuda (e muito) a não atrasar.

Contatos INSS

Você poderá entrar em contato com INSS pelo telefone 135 pela internet, no Portal Meu INSS, ou, ainda, ir a alguma agencia do INSS mais próxima de você.

Como Pagar INSS por Conta

Pagamento de INSS por conta Própria

Você é trabalhador autônomo e deseja começar a contribuir para o INSS? Não sabe como pagar o INSS por conta? Saiba como fazer isso e alguns detalhes importantes sobre a contribuição ao INSS.

recolhimento-contribuicao-inss-autonomo

Os trabalhadores de carteira assinada sabem o que é o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) e que sua contribuição é descontada na folha de pagamento pelo próprio empregador o que distancia às pessoas da prática burocrática de pagar o INSS. Mas, como fica o trabalhador autônomo, aquele que tem seu próprio negócio?

Trabalhador autônomo é todo aquele que exerce sua atividade profissional por conta própria ou presta serviço a uma pessoa física como exemplos de autônomos são pedreiros, vendedores, cabeleireiros, entre outros que podem pagar o INSS como trabalhador autônomo.  Com esta contribuição, estes trabalhadores autônomos garantem à sua aposentadoria e para isso precisam fazer sua inscrição no INSS como Contribuinte individual. Segue um passo a passo a ser seguido para quem deseja pagar o INSS por conta.

Inscrição INSS Autônomo

Primeiramente, o trabalhador autônomo deve fazer sua inscrição no PIS ou NIT é a partir deste registro que o trabalhador é identificado e pode acessar seus benefícios sociais. O cadastro é simples e rápido, pode ser feito por meio do telefone ou da internet. É necessário para isto que você tenha no mínimo 16 anos de idade, informar a opção de contribuinte individual e a atividade exercida. Pelo site a inscrição pode ser feita pelo link www.dataprev.gov.br; pelo telefone pelo número 135; e na agência do INSS. Não é necessário o envio de documentos para o INSS apenas informar corretamente seus dados pessoais.  Caso você em algum momento de sua vida já trabalhador com carteira assinada e, por consequência contribuído para o INSS, você já possui o número do PIS e não precisa fazer a inscrição novamente. Mas, caso não saiba o número do seu PIS, muitas vezes este número está registrado na sua carteira profissional de trabalho, na primeira página do documento no campo PIS/PASEP. Mas, se a carteira de trabalho for antiga, este número pode estar localizado em “Anotações Gerais”, no final das páginas de sua carteira. Outra forma de saber o número do PIS é através do Cartão cidadão utilizada para empregados acessarem os seus benefícios sociais e trabalhistas; através do site da DATAPREV, clicando em “Inscrição” e selecionar “filiado”. Após isso, informar os seus dados pessoais presentes no RG, como nome completo, filiação, etc.; ou através do telefone, entrando em contato com a Central de Atendimento pelo número 135 e teclar a opção 5 para ter acesso ao seu cadastro.

como-pagar-inss-por-conta

Contribuição INSS por Conta Própria

Após fazer seu cadastro ou descobrir o número do seu PIS, você deverá escolher a categoria de contribuição mais adequada a você no caso dos trabalhadores autônomos esta é a categoria “Contribuinte individual”. As formas de contribuição são diversas e para isso, deverá preencher uma Guia da Previdência Social (GPS), onde cada contribuição varia quanto à quantia de pagamento a ser efetuada assim como nos direitos de que você terá ao se aposentar. Neste momento deve-se prestar bem atenção e escolher a opção melhor para você. A diferença está entre o plano normal de contribuição (20% sobre o que recebe) e o plano simplificado (11%) é o valor da contribuição e o direito para se aposentar por idade. Os códigos 1007, 1104, 1287 garantem ao contribuinte o direito de se aposentar por idade e tempo de contribuição. Enquanto os códigos 1163,1180 e 1236 apenas dá o direito de se aposentar por idade.

Por isso, ao querer pagar o INSS por conta deve-se estudar bem o seu caso, analisar com calma, pois é uma decisão muito importante.

Trabalhador Desempregado Contribuição INSS

Contribuição INSS Trabalhador Desempregado

Quem está desempregado pode pagar INSS para não ficar descoberto dos eventuais benefícios que esse tipo de pagamento pode te proporcionar, como auxílio doença, auxílio reclusão, aposentadoria e muito mais.

trabalhador-desempregado-contribuicao-inss

Desempregado pode pagar INSS

Desempregado pode fazer o pagamento do INSS. Para que isso aconteça, é possível que o trabalhador se inscreva como segurado facultativo. O seguro obrigatório, de outro lado, é aquele que trabalha com carteira assinada ou que a lei prevê como obrigatório.

E é possível sim desempregado pagar INSS e continuar coberto pelos benefícios. No entanto, há algumas formas de pagar INSS para desempregado, como veremos adiante.

Isso é muito importante para que você possa se programar e verificar as vantagens de pagar INSS para trabalhador desempregado.

Veja abaixo os planos INSS para quem perdeu o emprego.

Planos INSS para desempregados

Há diversos planos INSS para desempregados. Um deles exige o recolhimento de 20% do salário do segurado. Quanto maior o valor pago ao INSS, maior fará diferença na aposentadoria depois.

Também é possível optar pelo plano simplificado, que se trata de 11% do salário mínimo, mas não dá direito à aposentadoria por tempo de serviço.

Como desempregado paga INSS?

Para pagar INSS desempregado, o interessado pode expedir a guia GPS no site do INSS. Se não tiver o número do PIS em mãos, deve fazer a inscrição pelo telefone 135 ou no site do INSS.

Contribuindo com o INSS, o desempregado terá direito a aposentadoria e outros benefícios da Previdência Social. Essa pode ser uma grande ajuda em tempos de aperto e pode realmente garantir uma pequena renda futura, mesmo se você tiver outra fonte de renda.

A data de vencimento para trabalhador desempregado pagar contribuição do INSS é em cada dia 15. Se não houver expediente bancário, há a prorrogação do prazo para o próximo dia útil.

trabalhador-desempregado-direitos-inss

Confira: Benefícios do INSS para desempregados

Cálculo contribuição trabalhador desempregado

O cálculo da contribuição do trabalhador desempregado INSS pode ser feito no site do INSS. É possível também pedir carnê de pagamento, o qual pode ser encontrado em diversos tipos de comércios.
A guia pode ser paga em agências bancárias ou nas lotéricas da Caixa Econômica Federal.

Vale a pena pagar INSS desempregado?

Se você não tiver uma poupança, rendimentos ou um valor reservado, pode ser interessante pagar o INSS desempregado, para que possa ter alguma cobertura no futuro, caso venha a precisar. Se você estiver recebendo seguro desemprego e pretende voltar a trabalhar nos próximos meses, não faz tanta diferença deixar de contribuir, agora para longos períodos sem trabalhar, é muito importante a contribuição para não atrasar sua aposentadoria no futuro.

Entretanto, se você tem uma previdência privada, por exemplo, é bom avaliar se é mais vantajoso aplicar o dinheiro em outro lugar, especialmente se a margem de contribuição for alta no seu caso. Também verifique se pretende atuar com carteira assinada, pois pode ser vantajoso permanecer pagando o INSS nesse caso.

Se você tem dúvidas sobre pagar INSS desempregado, não deixe de entrar em contato com a previdência social em seus canais de atendimento, como telefone 135 INSS, Portal Meu INSS (app), site da Previdência Social ou agende um atendimento para comparecer pessoalmente no INSS.

Folha de Pagamento INSS

INSS Folha de Pagamento

Para quem trabalha com carteira assinada, sabe muito bem que o INSS vem descontado na folha de pagamento. O mesmo acontece com o Imposto de Renda. Desse modo, saiba como identificar o desconto na folha de pagamento INSS e porque você deve ficar atento a isso.

Como veremos, há uma razão para que o INSS seja descontado da folha de pagamento. O valor pago ao INSS está baseado em algo que se chama “princípio da solidariedade”. Assim, as contribuições de que está trabalhando hoje em dia certamente estão pagando a aposentadoria daqueles que já estão fora da ativa, e assim sucessivamente.

folha-de-pagamento-inss

Atualmente, segundo informações do governo federal, o INSS não tem nenhuma reserva, pois o que já entra em caixa já sai. Logo, a importância das contribuições é extremamente importante para que milhares de brasileiros possam receber suas aposentadorias em dia.

Afinal de contas, no futuro, quando você se aposentar, certamente vai querer receber a sua aposentadoria e, da mesma forma, deverá contar com a contribuição daqueles que já estão trabalhando.

É possível, desse modo, observar a importância de que as contribuições do INSS sejam descontadas da folha de pagamento dos trabalhadores, pois é melhor descontar todo mês um pouco do que ter que regularizar sua situação perante o INSS mais tarde, tendo que pagar valores mais altos ou, ainda, diante de um problema, ficar sem seu benefício porque deixou ou esqueceu de contribuir.

INSS Folha de pagamento

As contribuições previdenciárias do INSS são descontadas da folha de pagamento já para que o governo consiga ter certeza de que o valor realmente vai ser retido pelo empregador e repassado ao governo.

Isso porque haviam muitos casos em que as pessoas esqueciam de recolher as contribuições do INSS ou até mesmo deixavam de fazer isso, o que impedia a concessão de benefícios e de futura aposentadoria.

inss-folha-de-pagamento-dataprev

Para garantir que todos os brasileiros que trabalham com carteira assinada efetivamente contribuam para o INSS, já que isso é obrigatório, é por isso que um percentual do INSS é descontado da folha de pagamento.

Além disso, outros descontos como contribuições sindicais e imposto de renda são “retidos na fonte”, pelas mesmas razões.

Que valor é descontado de INSS da folha de pagamento?

Em regra, existem três faixas de desconto do INSS na folha de pagamento, como veremos a seguir:

SALÁRIO-DE-CONTRIBUIÇÃO (R$) ALÍQUOTA / RECOLHIMENTO DO INSS
até 1.659,38 8%
de 1.659,39 até 2.765,66 9%
de 2.765,67 até 5.531,31 11%

*Você deve sempre verificar a tabela de salário e contribuição atualizada

Como identificar o desconto do INSS na folha de pagamento?

Para identificar o desconto INSS na folha de pagamento é só pegar o seu contracheque e procurar “Contribuição do INSS”. Como você poderá observar, esse valor já estará deduzido do importe bruto da sua remuneração mensal.

Tirou todas as suas dúvidas a respeito do desconto do INSS na folha de pagamento? Se não, você deverá entrar em contato com o INSS, seja pelo telefone 135, nas agências do INSS ou pelo site da internet, no Portal Meu INSS.

INSS Baixa Renda – Valor, Contribuição, Direitos

Contribuição e Aposentadoria INSS Baixa Renda

O Instituto Nacional da Seguridade Social é um dos principais órgãos quando o assunto é benefício previdenciário. Ele paga aposentadorias, auxílio doença, pensão por morte e vários outros. O valor do INSS de baixa renda é aplicado aos casos de pessoas que não possuem condição de arcar com a alíquota máxima da previdência.

inss-baixa-renda

Isso porque custear os valores de contribuição mínima do INSS pode ser bem custoso para a maioria dos brasileiros. Aliás, ao se somar imposto de renda com o INSS grande parte dos trabalhadores acabam arcando com altos valores ao final do mês.

Mas, de outro lado, esse tipo de custeio não pode afetar eventual possibilidade de aposentadoria ou de recebimento de direitos pelas pessoas que, em regra, mais vão precisar disso, não é?

Assim, o governo teve que pensar em novas estratégias para evitar com que as camadas sociais mais vulneráveis piorassem as suas situações quando se deparassem com idade mais avançada ou, ainda, em situações que exigissem ajuda financeira e uma delas é o INSS Baixa Renda.

Quer saber mais sobre esse benefício? Acompanhe o artigo e saiba tudo sobre INSS baixa renda!

Quem tem direito ao INSS baixa renda?

Você sabe quem tem direito ao INSS baixa renda? Se a resposta for não, está na hora de ficar por dentro das regras da instituição para o pagamento das alíquotas. Todos os trabalhadores de baixa renda, como donas de casa (e homens que atuem na mesma função), camelôs e outros poderão optar por contribuir com uma alíquota de 11% sobre o valor do salário mínimo.

inss-baixa-renda-direitos-valor

Os direitos do INSS Baixa Renda são todos aqueles oferecidos pela previdência, como aposentadoria, auxílio doença igual a um salário mínimo mensal, aposentadoria por idade e também por invalidez. A única diferença fica por conta do valor do benefício, que é bem menor quando comparado a quem contribui com alíquotas maiores.

Como funciona a contribuição do INSS Baixa Renda?

A contribuição do INSS Baixa Renda segue o mesmo procedimento para os demais contribuintes. Basta acessar a guia de recolhimento e efetuar o pagamento dos valores devidos periodicamente. Vale lembrar que o pagamento regular da contribuição é fundamental para que benefícios futuros sejam requeridos pelo contribuinte. Há algumas situações em que o INSS até não exige contribuições seguidas. Entretanto, é bom não arriscar e pagar em dia o valor dessas obrigações.

Qual o valor do INSS Baixa Renda?

Para saber o valor do INSS Baixa Renda, basta fazer um cálculo simples, já que a alíquota é de 11% sobre o valor do salário mínimo vigente. Como o valor do salário mínimo no Brasil aumenta todos os anos, geralmente no mês de janeiro, o valor devido também sofre reajuste. Mas o aumento costuma ser bem pequeno, mudando pouca coisa na vida do contribuinte.

Como contribuir o INSS Baixa Renda?

Agora que você já sabe como contribuir no INSS Baixa Renda, está na hora de procurar saber se você tem, direito a essa modalidade de alíquota.

Formulário GPS INSS Como Preencher

Como Preencher Formulário GPS INSS

Para todos que contribuem de forma autônoma para a Previdência Social, a GPS (Guia da Previdência Social) é um documento extremamente importante.

É através do Formulário GPS INSS que os contribuintes podem fazer o recolhimento mensal e ficar em dia com suas contribuições previdenciárias. Descubra agora tudo sobre esse documento da previdência.

como-preencher-gps-formulario

Por que preencher o formulário GPS INSS é importante?

É muito importante que você não atrase a sua contribuição para com a previdência social. Isso porque para que você receba alguns benefícios, quando precisar ele pode ser negado.

Para alguns benefícios do INSS não há necessidade de que todas as contribuições tenham sido pagas. No caso da aposentadoria, por exemplo, isso não se aplica. Futuramente, quando você quiser se aposentar, terá que pagar os valores atrasados e mais penalidades, além de atrasar um pouco mais a sua aposentadoria por falta de pagamento da guia do INSS.

Desse modo, é evidente a importância do formulário GPS INSS, o qual deve ser devidamente preenchido e pago para que você não venha a ter problemas e dor de cabeça quando precisar do INSS.

Mas muitas pessoas não sabem como preencher o Formulário GPS INSS. Se esse é o seu caso, está na hora de aprender algumas dicas úteis que vão ajudar em muito na hora de lidar com esse documento. Primeiro, vamos falar um pouco sobre o que é a GPS e quem deve preencher esse documento para fins previdenciários.

Como preencher o Formulário GPS INSS

Muitos trabalhadores têm o INSS recolhido diretamente na folha de pagamento, o que significa que o desconto ocorre de forma automática. Mas quem é empresário, autônomo, contribuinte individual ou facultativo deve recolher de forma manual, todos os meses. É possível preencher o Formulário GPS INSS pela internet, sem burocracia.

como-preencher-formulario-guia-inss-gps

Dessa forma, você contribuinte do INSS deve informar os seus dados no sistema e emitir a guia de recolhimento, que pode ser paga em agências bancárias, pela caixa econômica federal, casas lotéricas, correspondentes bancários ou mesmo através do débito automático. Se você tem alguma dúvida sobre como preencher o Formulário GPS do INSS pelo site, é só seguir alguns passos simples.

O primeiro deles é acessar o site da Previdência Social pela internet e clicar no campo respectivo ao GPS (Guia da Previdência Social).

Feito isso, será necessário preencher o formulário com os seus dados e rendimentos. Após o preenchimento completo, o sistema libera a emissão de uma guia de recolhimento, onde constam todos os valores que devem ser pagos. Todo contribuinte pode preencher o Formulário GPS online, sem custo.

Formulário GPS INSS pela internet

Mesmo se as suas parcelas estejam em atraso, poderá fazer o cálculo através do preenchimento do Formulário GPS INSS.

O sistema faz a computação de todos os juros legais devidos, com base no número de parcelas em atrasos devidas pelo contribuinte. Importante lembrar que o pagamento em dia do INSS é a única forma de garantir todos os benefícios concedidos pelo órgão.

Se você estava se perguntando onde preencher o Formulário GPS INSS, agora já sabe que tudo pode ser feito de graça pela internet, de forma rápida e fácil.

Modelo Formulário GUIA GPS INSS

Separamos um modelo para você preencher: Modelo GPS – Como Preencher Formulá

Com a guia em mão, o contribuinte pode efetuar o pagamento, comparecendo a uma instituição bancária ou entidade conveniada. Outra opção é programar o débito automático em conta, para não ter que pagar todos os meses de forma mecânica.

Agora que você já sabe tudo sobre como preencher o Formulário GPS INSS em casa, está na hora de acessar o site e deixar todos os seus pagamentos em dia.

Se tiver dúvidas a respeito da regularidade das suas contribuições do INSS, ou seja, se todas as contribuições do INSS estão em dia, não deixe de acessar o site do INSS ou o aplicativo pelo celular ou, ainda, o Portal Meu INSS e tenha tire um extrato de contribuição.

Desse modo, caso haja algum problema você poderá resolvê-lo sem ter tanta dor de cabeça ou comprovar alguma contribuição já paga, mas que não aparece no sistema do Dataprev.

gps-formulario-preenchimento

O INSS tem seus problemas, mas estar em dia com ele pode ser a única renda que muitas pessoas vão ter ao se aposentar ou alguma situação hostil infelizmente ocorra com elas.

De auxílio-reclusão à auxílio-doença, caso você preencha os requisitos para recebimento desses benefícios, pode tardar, mas o INSS certamente irá lhe pagar se você tiver preenchido e pago o formulário GPS INSS corretamente e dentro dos prazos.

Para regularizar situação perante o INSS, não deixe de fazer um agendamento pelo telefone INSS e de comparecer no dia e hora marcada em posto de atendimento do INSS.

Evitar atrasos é essencial para não correr o risco de ter um benefício previdenciário negado pelo órgão. Com o pagamento, o contribuinte tem direito a aposentadoria, auxílio doença e vários outros que ajudam o trabalhador nos momentos em que ele mais precisa.

Comprovação da Remuneração do Empregado

Prova da remuneração do empregado

Um dos assuntos que mais movimenta discussão no Direito do Trabalho no Brasil diz respeito ao pagamento do salário aos empregados.

comprovacao-remuneracao-empregado

Muitas vezes os funcionários acusam os empregadores de faltarem com o dever legal de pagar mensalmente a remuneração estabelecida na Carteira de Trabalho. Nesses casos cabe ao empregador a Comprovação da Remuneração do Empregado.

Abaixo saiba como fazer prova da remuneração do empregado sem ter dores de cabeça no futuro.

Como provar o pagamento de salário?

 

De acordo com a lei brasileira, se você é empregador, deverá remunerar os funcionários e fornecer recibo, assinado pelos empregados. Esse é o meio correto para fazer a Comprovação da Remuneração do Empregado. Mas muitas vezes os pagamentos são feitos sem emissão de recibo, ou mesmo sem a assinatura do empregado, resultando em problemas futuros para você empregador.

Isso é muito comum se a empresa usa sistema informatizado, por exemplo. Se você está passando por uma situação parecida, está na hora de saber como fazer a Comprovação da Remuneração do Empregado. Apesar de o recibo assinado ser o meio qualificado de prova de pagamento do salário, alguns tribunais têm entendido que as simples fichas financeiras podem ser utilizadas como prova.

Recibo: comprovante do salário do empregado

Dito isso, o documento para Comprovação da Remuneração do Empregado continua sendo o recibo emitido pelo empregador e assinado pelo empregado. Todavia, na falta deste recibo você empregador poderá apresentar em juízo as fichas financeiras de pagamento, ainda que sem a assinatura do empregado. Sendo assunto ainda não pacificado na doutrina e tribunais, cabe disputa caso a caso.

Prova de pagamento do empregado: ônus

Em regra, você também precisa saber que, para o Direito, o ônus é daquele que alega. Assim, se o empregado disse receber valor que não condiz com a realidade, por exemplo, ele deve provar que recebe no montante alegado.

No entanto, a Justiça Trabalhista entende que o empregado é hipossuficiente, ou seja, o mais “frágil” da relação com o empregador. Por conta disso, não é raro vez juízes desonerando o empregado que alegou algum problema com o salário, de trazer provas.

recibo-de-pagamento-empregado

Nesse caso, incumbirá ao empregador fazer a prova de pagamento do empregado, em algo que se chama de “inversão do ônus” da prova. Ou seja, quem alegou foi o empregado, logo, ele deveria provar. Mas se o juiz entender diferente, não será ele quem terá que provar a remuneração, mas sim o seu empregador.

Como provar renda do empregado?

Agora que você já sabe o que é a Comprovação da Remuneração do Empregado, já tem bases suficientes para tratar do assunto.

Sempre que possível, forneça ao trabalhador um recibo de pagamento de salário e exija a assinatura. Esse é o meio mais seguro para conseguir fazer prova do correto pagamento de todas as verbas trabalhistas.

Em todo caso, poderá recorrer ao Judiciário para tentar fazer prova através de outros documentos que atestem o pagamento do salário do empregado.

Declaração de Regularidade

Certidão de regularidade: o que é

Se você é contribuinte individual é importante saber o que é a Declaração de Regularidade. Trata-se de um documento que atesta que você está em dia com os recolhimentos previdenciários, além de que está tudo certo com a sua situação cadastral. Através desse documento você pode ficar por dentro de como anda o seu histórico junto ao INSS.

declaracao-de-regularidade

A certidão de regularidade da Previdência Social é importante para várias questões envolvendo o contribuinte, como participar de licitações públicas, contratos e outras questões, sem contar no caso de ações judiciais que envolvam o tema, por exemplo.

Como se vê, a declaração de regularidade do INSS é um instrumento bem necessário para a prevenção.

Muitas vezes o contribuinte acha que “está tudo certo”, mas acaba ocorrendo algum problema de ordem prática, por exemplo, erros no sistema, além de outras questões que possam surgir e ele só fica sabendo quando o “probleminha” vira um “problemão”.

Desse modo, saiba tudo sobre como expedir a suadeclaração de regularidade. É simples e descomplicado. Nada de burocracia para dificultar a emissão da certidão de regularidade. Vamos lá ver todos os passos para tirar a declaração de regularidade? Acompanhe o artigo.

Como emitir declaração de regularidade?

Assim como vários serviços oferecidos pela Previdência Social, emitir a Declaração de Regularidade é um deles.

Todo contribuinte individual pode emitir certidão de regularidade para os fins que julgar necessários. Descubra agora como funciona a emissão desse documento, onde fazer e também como confirmar a sua autenticidade.

Não consigo emitir declaração de regularidade, e agora?

Para que você possa tirar a Declaração de Regularidade basta acessar o site da Previdência Social e procurar por esse serviço no menu. Você precisará apenas da sua identificação funcional, com PASEP, PIS ou CI. Informe o número de um desses documentos, digite as letras do captcha e clique em “pesquisar”.

certidao-de-regularidade-inss-nada-consta

Caso você não consiga acessar a declaração de regularidade, pode ser que exista alguma pendência, como por exemplo vários meses em atraso.

Para resolver essa situação você precisará comparecer a uma agência da previdência, pessoalmente ou por meio de procurador. Apenas depois de regularizar a sua situação você será capaz de emitir a Declaração de Regularidade pela internet.

Se a sua situação estiver toda em dia, será fácil tirar a Declaração de Regularidade online.

Na mesma página onde o documento é emitido você poderá também testar a sua autenticidade. Esse é um procedimento que serve mais para saber se uma Declaração de Regularidade é mesmo verdadeira. Isso é importante especialmente para combater fraudes, pois infelizmente já houve casos de pessoas que falsificaram a certidão de regularidade.

Isso é tudo que você precisa para acessar a Declaração de Regularidade de contribuinte individual no site da Previdência Social.

Faça o teste agora mesmo, visite a página do INSS e retire a sua certidão de regularidade. Se encontrar problemas, procure uma agência o mais rápido possível para resolver, pois quanto mais o tempo passa, mais dor de cabeça você poderá ter no futuro. Saiba mais e emita acessando o site www.nadaconsta.net

Aposentado Autônomo Paga INSS?

Aposentado autônomo: INSS

Uma das grandes dúvidas dos contribuintes da Previdência Social é sobre a aposentadoria do autônomo. Se você também está em dúvida sobre o assunto, está na hora de descobrir se o aposentado autônomo paga INSS. Para esclarecer, o autônomo é o profissional que trabalha por conta própria, sem vínculo de trabalho regular. Se você se encontra nessa situação, fique atento.

aposentado-autonomo-pagar-inss

Aposentado autônomo é obrigado a pagar INSS?

Você autônomo deve contribuir com o Instituto Nacional da Seguridade Social se quiser se aposentar. O pagamento é feito mensalmente, por meio de uma guia de recolhimento. Mas aí vem a questão: se você já se aposentou como autônomo, deve continuar contribuindo? Muita gente pensa que o aposentado autônomo precisa pagar INSS, o que não é bem verdade.

Desaposentação: aposentado que trabalha deve pagar INSS

Só é obrigado pagar INSS aqueles que são considerados pela legislação, como no caso dos trabalhadores com carteira assinada, ou seja, que têm vínculo com empresas. Nesse caso, ocorre a chamada Desaposentação.

A título de curiosidade, a desaposentação já foi avaliada pelo Supremo Tribunal Federal, onde se entendeu que aposentado com carteira assinada que volta a trabalhar deve pagar INSS sim.

Pecúlio: aposentado INSS

Antigamente, aposentado que trabalhava e pagava INSS tinha um tipo de isenção por parte do governo federal, que se chamava pecúlio INSS.

Entretanto, não existe mais essa figura do pecúlio INSS. Mas agora vamos ver como fica a situação do aposentado autônomo INSS: paga ou não paga INSS?

Aposentado autônomo: não precisa pagar INSS

Por ser um contribuinte individual, você mesmo é que deve fazer o recolhimento das contribuições previdenciárias. Ao se aposentar como autônomo você pode parar de contribuir, sem prejuízo algum para a sua aposentadoria. Isso significa que você o aposentado autônomo não precisa pagar INSS. Você pode continuar exercendo suas atividades e gerando renda normalmente.

inss-aposentado-autonomo

O que acontece é que muitos aposentados autônomos escolhem continuar recolhendo as contribuições. Um dos efeitos é a possibilidade de melhorar o valor da aposentadoria, já que é possível pedir uma revisão do cálculo pelo INSS. Ou seja, se você aposentado autônomo deixar de pagar INSS, não sofrerá nenhuma consequência.

Como aumentar aposentadoria: aposentado autônomo INSS

Se você é aposentado autônimo que paga INSS, poderá melhorar o seu benefício. Atualmente o teto remuneratório da Previdência Social está perto da casa dos cinco mil reais. Esse é o valor máximo do benefício pago pelo Instituto a qualquer um de seus segurados. Dessa forma, esse será o máximo que você poderá receber de aposentadoria, se contribuir com base na alíquota máxima.

Dessa forma, você autônomo aposentado pode pagar INSS se quiser ter uma melhora no cálculo do seu benefício. Caso não tenha interesse, poderá continuar trabalhando e auferindo renda sem ter que se preocupar com o recolhimento mensal das contribuições para a previdência social. Afinal de contas, você já está aposentado e recebendo normalmente o valor todos os meses.

Além disso, o dinheiro que pagar ao INSS pode ser usado por você. Até porque para aumentar a aposentadoria você precisará fazer um pedido no INSS, o qual muitas vezes não é muito rápido.

Logo, caso o aposentado autônomo prefira, pode contribuir com o INSS. Mas isso é uma faculdade e não uma obrigação.

Outro ponto importante, é que nem todos os aposentados INSS podem trabalhar, como é o caso dos aposentados por invalidez INSS. Caso sejam “pegos” trabalhando, correrão o risco de perder seu benefício.

pagar-inss-aposentado-autonomo

Aposentado autônomo: imposto de renda

Diferentemente do INSS, o aposentado autônomo, em tese, precisa declarar no imposto de renda. Desse modo, a Receita Federal deverá realizar um cálculo sobre a renda que for auferida pelo aposentado autônomo, o qual deverá pagar o imposto devido para que não tenha problemas. Confira mais: Declaração Aposentado Imposto de Renda

Dúvidas: aposentado autônomo INSS

Mas se você ainda está com dúvida se o aposentado autônomo é obrigado a pagar INSS, está na hora de ir até uma das agências. Os profissionais desse órgão estão preparados para elucidar todas as suas dúvidas acerca dessa matéria tão importante. A aposentadoria é um sonho de todos os brasileiros. E pagar INSS não é nada agradável, principalmente para você autônomo que paga por conta própria.

Não fique com dúvidas sobre a sua aposentadoria, pois é importante estar por dentro de todas as informações. Para saber se o INSS cobra do aposentado autônomo você inclusive acessar agora o site da previdência na internet e fazer uma consulta de forma rápida. Esse órgão fornece aos contribuintes vários guias completos sobre os direitos previdenciários.

Contato INSS: aposentado autônomo

Além da internet, você pode se comunicar com o INSS através do telefone. Ligue e converse diretamente com um dos agentes da previdência social acerca da contribuição do autônomo aposentado no INSS. Fique por dentro de todos os seus direitos e não pague nada sem necessidade.

INSS 2 Via Boleto

2ª Via Boleto INSS

Os trabalhadores que se declaram autônomos, mas que desejam contribuir com a previdência podem optar por fazer mensalmente o pagamento através de boleto INSS ao se cadastrarem na Previdência Social.

2-via-boleto-inss

A primeira providencia é se cadastrar no Programa de Integração Social (PIS) caso nunca tenha trabalhado com registro em carteira. Geralmente quem já trabalhou para pessoa jurídica já possui número de PIS cadastrado e para consulta-lo é preciso comparecer a Caixa Econômica no setor de FGTS, agências conveniadas ou através da central de atendimento 135. Para quem ainda vai fazer o cadastro, o segundo passo é escolher o tipo de contribuição e em seguida fazer o preenchimento de um documento chamado Guia da Previdência Social e efetuar seu pagamento. Esse passo a passo ocorrera somente no primeiro pagamento. Os demais ocorrerão de forma bem mais simplificada.

Primeiramente é necessário estar consciente de que somente pessoas que prestam serviços para pessoa física ou que trabalham de forma autônoma é que podem optar por esse tipo de contribuição denominada contribuição individual.

Atualizar Darf de contribuição ao INSS – Recolhimento

Os valores das contribuições mudam de acordo com os tipos de recolhimento escolhido e essa escolha impactar nos valores da aposentadoria que será recebida no futuro. Os diferentes tipos de contribuição recebem códigos diferentes como distribuídos abaixo:

Contribuinte Individual – Código 1007 – Nesta modalidade o contribuinte paga 20% do valor do seu rendimento total e tem direito a se aposentar por idade e tempo de serviço. Os valores declarados para o INSS precisam coincidir com os valores declarados no Imposto de Renda.

Contribuinte Individual – Código 1163 – Ao optar por este tipo de contribuição o valor recolhido será 11% sobre o valor do salário mínimo vigente e o contribuinte tem o direito de a auxílios e pensões do INSS, porem a aposentadoria ocorre somente por idade e o valor da aposentadoria será de um salário mínimo.

A guia de recolhimento do INSS pode ser preenchida pela internet, manualmente ou pelo internet banking. Antes do pagamento da guia todos os campos todas as informações precisam ser conferidas e os possíveis erros corrigidos.

2 Via Boleto Previdência Social

O pagamento da guia da previdência pode ser feita em bancos ou lotéricas até o dia 15 do mês seguinte. Se esta data for ultrapassada haverá cobrança de multas e juros cuja porcentagem pode atingir até 20% do valor original.

2-via-darf-boleto-previdencia-social

Se ocorrer o atraso no pagamento o contribuinte poderá gerar um novo documento através do programa GPS. Ao acessar o programa a opção contribuinte deverá ser solicitada e em seguida o código do contribuinte, mês de referência e PIS deverão ser inseridos.

O próprio programa realizara o cálculo informando o valor a ser pago já com os juros e multas no novo boleto INSS. O pagamento da 2º via do boleto do INSS poderá ser paga normalmente em qualquer agência bancaria, internet banking ou casas lotéricas.

O boleto INSS tem validade de 5 dias e o não pagamento implicara na necessidade de gerar novas vias.

É importante que que o contribuinte cumpra com sua obrigação para ter seus direitos garantidos.

INSS Como Regularizar as Contribuições

Regularizar as Contribuições do INSS

Estar em dia com a previdência social é fundamental para você que não quer correr o risco de perder os benefícios. Afinal de contas, todo mundo quer aposentar, poder contar com o auxílio doença se for necessário etc. Aprenda agora mesmo a regularizar as contribuições do INSS. Pague todos os débitos em atraso e fique tranquilo com relação aos benefícios previdenciários.

regularizar-contribuicoes-inss

A contribuição para a previdência é um valor que os trabalhadores pagam mensalmente, que serve como base para o cálculo da aposentadoria e demais benefícios da seguridade social. Se você está em débito com a previdência, descubra como regularizar contribuições atrasadas no INSS. O processo é muito simples, de modo que em poucos passos você estará livre dessa obrigação.

Você pode regularizar o INSS autônomo ou o INSS empresa. Tanto faz. O importante é saber que você fará isso com acréscimos e com juros, o que pode pesar um pouco no bolso. Esse valor, no entanto, poderá ser parcelado (ou em prestações), o que pode possibilitar o pagamento do INSS e o retorno dos seus benefícios, assim que conseguir quitar a dívida.

Quem não precisa regularizar INSS?

São as seguintes pessoas que não precisam regularizar o INSS:

  • Trabalhadores rurais que atuam antes de 1991
  • Trabalhador autônomo que prestou serviços a empresas
  • Quem era informal, ou seja, que não tinha carteira assinada.

Quem pode pagar INSS com atraso?

Não é todo mundo que pode pagar o INSS em atraso. São eles:

  • Quem contribui facultativamente com o INSS
  • Quem atua como profissional autônomo e paga INSS.

Regularizar INSS pela internet

É possível regularizar as contribuições do INSS pela internet. Isso mesmo, com a revolução das ferramentas digitais tudo ficou mais fácil. Você nem precisa ir até uma agência da previdência social para pagar as suas dívidas com esse órgão. Acesse agora mesmo o site da previdência e siga alguns passos simples.

A Guia da Previdência Social, também conhecida pela sigla GPS, é o documento através do qual você regularizar as contribuições e pagar o INSS. Para ter acesso a esse documento, basta acessar o site da previdência e preencher um formulário com os seus dados junto ao órgão.

regularizacao-inss-em-atraso

Como regularizar INSS com atraso

A regularização das contribuições no site do INSS é muito fácil. Em poucos minutos você terá acesso ao valor total em atraso, bem como os juros e multas que foram aplicadas ao longo do tempo. Ao fim do procedimento você terá a opção de imprimir a Guia da Previdência Social para pagamento.

No entanto, tenha em mente se o seu INSS está:

  • Prescrito: dívidas com mais de 5 anos, por meio da comprovação de ao menos uma contribuição antes dessas que não foram pagas.
  • Não prescrito: é bem mais simples de regularizar e quitar os débitos com o INSS.

Fique em dia com a seguridade social e não perca os seus benefícios. Fazer a regularização das contribuições do INSS é a melhor forma de ficar com a consciência tranquila e aproveitar as vantagens quando precisar!

MEI Auxílio Doença – Tem Direito? Carência

MicroEmpreendedor Individual Tem direito ao Auxílio Doença?

Se você é Microempreendedor Individual (MEI), está na hora de conhecer tudo sobre os seus benefícios previdenciários. Um deles e talvez o mais importante é o auxílio doença. Muita gente não sabe, mas o MEI tem direito ao auxílio doença. Para poder começar a aproveitar esse benefício tão importante para qualquer trabalhador, você precisa conhecer como ele funciona e como solicitar.

mei-tem-direito-auxilio-doenca

Acredite, nem todo mundo sabe que MEI tem direito ao auxílio doença. Infelizmente por falta de informação muitos microempreendedores individuais acabam perdendo o seu benefício do INSS. Assim, caso venha a ter algum problema que o incapacite de trabalhar, fique atento a essas dicas e saiba tudo sobre auxílio doença para MEI.

Auxílio Doença Microempreendedor Período de Carência

De acordo a legislação regente da previdência social, a carência do auxílio doença do MEI é de 12 meses. Esse prazo é contado com base no primeiro pagamento realizado pelo empreendedor. Mas a própria lei determina alguns casos em que o benefício pode ser exigido independentemente de carência. Se você sofrer algum acidente que o impeça de trabalhar, por exemplo, poderá solicitar o auxílio doença.

O período de carência do auxílio doença MEI depende da moléstia. Para os casos definidos em lei, o segurado poderá solicitar o benefício até mesmo no próprio dia em que sofrer o acidente ou adoecer. A previdência deverá pagar ao MEI um valor que seja suficiente para o sustento do segurado e também de sua família em até trinta dias.

MEI tem direito ao auxílio doença

Como visto, o microempreendedor individual tem direito ao auxílio doença, assim como outros benefícios previdenciários. Dessa forma, o MEI fica protegido contra os riscos da sua atividade.

O MEI poderá solicitar o auxílio doença sempre que for acometido de moléstia grave que torne impossível trabalhar em seu empreendimento. A lei é clara ao dizer o que o Micro Empreendedor Individual tem direito ao auxílio doença do INSS e que poderá exigir essa garantia.

auxilio-doenca-microempreendedor-individual-inss

Se você queria saber se o MEI tem direito ao auxílio doença, está na hora de procurar a Previdência e cobrar essa garantia legal. Trata-se de um benefício essencial para quem está começando um negócio e quer se sentir mais seguro para exercer suas atividades.

Requerimento auxilio doença contribuinte individual

Para requer auxílio doença do MEI, basta ligar para o atendimento do INSS, no telefone 135 e realizar o agendamento do pedido, tanto de forma eletrônica, por meio do site do INSS ou, ainda, pela web, ou em postos de atendimento do INSS. Acesse: Requerimento Auxílio Doença.

E aí, ficou alguma dúvida sobre o pedido de auxílio doença do MEI? Se tiver qualquer dúvida não hesite em telefonar gratuitamente para o INSS ou ir a algum posto de atendimento.

Não se esqueça de ter em mãos o RG, CPF, carteira de trabalho, comprovante de contribuição do INSS, laudos médicos que comprovem incapacidade temporária de trabalhar, bem como do período sugerido de afastamento. Não perca o prazo para pedir seu benefício e uma boa sorte!

Pagar INSS Dona de Casa – Valor

INSS Dona de Casa Valor

Se você, homem ou mulher, trabalha em casa de família, deve recolher a contribuição previdenciária. Essa é a única maneira de garantir os benefícios concedidos por essa instituição. Descubra agora mesmo como pagar o INSS de dona de casa e garanta já os seus direitos trabalhistas.

inss-dona-de-casa

Pagamento de INSS Dona de Casa

Existem basicamente duas modalidades de pagamento de ISS de dona de casa. Se você é dona de casa e sua família é de baixa renda, poderá contribuir com uma alíquota menor. Atualmente ela é de 5% do salário mínimo, algo em torno de R$35,00. Esse valor deve ser recolhido mensalmente para que os benefícios sejam garantidos.

Agora, se a dona de casa possuir renda familiar alta, deverá recolher com base na alíquota de 11% ou 20%. Lembrando que para comprovar que a família é de baixa renda é preciso que você possua cadastro no CadÚnico. Esse cadastro pode ser feito no CRAS da sua região. Agora que você já sabe quanto a dona de casa paga de INSS, é hora de começar a recolher.

Muitas donas de casa nem pensam em pagar INSS, pois acreditam que isso é desnecessário. Será mesmo? Infelizmente as pessoas não nascem com o “dom da adivinhação” (ao menos a maioria delas) e o futuro é algo complicado de visualizar.

Assim, contribuir com o INSS pode ser o “plano B”, caso algo dê errado futuramente.

Como pagar INSS Dona de Casa

O pagamento de INSS de dona de casa é facultativo. Dessa forma, cabe a própria dona de casa fazer o pagamento todos os meses. Apesar de ser opcional, é importante que você saiba que o único jeito de aposentar é recolhendo as contribuições. Além da aposentadoria por idade e por tempo de serviço, o trabalhador que realiza o pagamento de INSS de dona de casa tem direito ao auxílio doença.

inss-do-lar-pagamento-valor-recolhimento

Agora que você já sabe a importância de realizar o pagamento mensal, saiba como fazer isso. Através de um carnê você poderá pagar o INSS de dona de casa todos os meses. Evite atrasos no pagamento para que seus benefícios continuem em dia. Dessa forma você poderá receber uma aposentadoria no futuro. Veja como pagar acessando: Pagar INSS Autônomo.

Nunca se sabe quando se precisará de algum auxílio do INSS, não é mesmo? Assim, quando a dona de casa contribui com o INSS está pensando em ter um mínimo de aposentadoria, caso venha a precisar no futuro.

As contribuições ao INSS devem ser levadas como se fossem uma poupança a longo prazo. No entanto há quem discorde e diga que no caso de contribuintes facultativos do INSS, como donas de casa, existem outras opções de investimento no mercado que poderiam garantir um futuro mais promissor para que neles investem, como as previdências privadas, seguros e outros.

Verifique qual o melhor meio de pagar aposentadoria para dona de casa. Pode ser que o valor da aposentadoria do INSS não agrade  a todos, mas de outro lado, é quase que uma certeza que o INSS existirá por muito tempo, ao contrário dos bancos, por exemplo.